Oficialas de Justiça lançam livro “PENA E SEGURANÇA PÚBLICA – Cidadania e a crise do sistema punitivo”

O Sindicato dos Oficiais de Justiça de Goiás (Sindojusgo), por meio do vice-presidente da instituição, Eleandro Alves participou do lançamento do livro “PENA E SEGURANÇA PÚBLICA – Cidadania e a crise do sistema punitivo”, na Livraria Palavrear, em Goiânia. “É motivo de grande satisfação para nós, ter no quadro de servidores do judiciário, mulheres tão empenhadas em entender e propõe soluções no que tange a segurança pública e sistema prisional brasileiro, tão carentes de readequações. Muito orgulho das nossas colegas Oficialas de Justiça”, explica Eleandro Alves.

O livro foi organizado pela oficiala de justiça, Gisele Gomes Matos e pelo Prof Pedro Sérgio dos Santos e conta com artigos das oficialas, Gisele Gomes Matos, da Comarca de Petrolina, e Carolina Rosa Santos, da Comarca de Bela Vista de Goiás, ambas as mestrandas do Programa de Pós Graduação em Direito e Políticas Públicas – Faculdade de Direito/ UFG.

Para Gisele, estudar o sistema punitivo permite lançar olhar diferente do senso comum para as mazelas não só do próprio sistema prisional, mas da própria sociedade. ˜Isso porque já dizia Nelson Hungria que “a cadeia” é o espelho da sociedade. Como oficial de justiça temos maior proximidade dos jurisdicionados, em especial daqueles abrangidos pela seara penal, estejam eles dentro ou fora dos presídios. Estudar a temática nos traz mais humanidade no tratamento dessas pessoas. A publicação de capítulo de livro demanda efetivo estudo e constitui reflexo de primoroso trabalho acadêmico, visando o enriquecimento dos debates na área e novas perspectivas nas políticas públicas˜, ressalta.

A Oficiala de Justiça, Ana Carolina diz que o mestrado é a realização de um sonho pessoal e profissional. “O livro é o resultado de reflexões realizadas durante todo o semestre e que se transformaram em artigos altamente relevantes na área penal, no âmbito do sistema penitenciário e da segurança pública. É gratificante poder associar o trabalho que desempenho como oficiala de justiça e o meio acadêmico contribuindo com o sistema como um todo. Estou muito feliz.”, comemora a mestranda, Carolina Rosa Santos.