Sindicato cobra agilidade na criação do Fundo para a antecipação das locomoções

Representantes do Sindicato dos Oficiais de Justiça do Estado de Goiás (Sindojusgo) se reuniram, essa semana, com a Diretora Geral do Tribunal de Justiça (TJ-GO), Aparecida Auxiliadora Magalhães Santos para tratar de algumas reivindicações da categoria. O principal assunto foi a criação do Fundo para a antecipação das locomoções da Fazenda Pública e também a consulta sobre a exclusão dos oficiais de justiça das custas finais, que se refere ao provimento 5.

Vale lembrar que o Sindojusgo tem alguns processos administrativos questionando essa antecipação junto ao TJ. “Cobramos agilidade na criação do Fundo para a antecipação das locomoções da Fazenda Pública. O oficial de justiça está tendo que arcar com as despesas de locomoções de diligências já que nem a Fazenda Pública paga e nem o Tribunal antecipa o pagamento”, explica o presidente.

Para Moizés Bento essa indecisão está gerando um desgaste dentro da categoria. “Por enquanto estamos tentando negociar amigavelmente com o Tribunal, porque sabemos que existe um processo em andamento. A diretora geral do TJ nos garantiu que está trabalhando incansavelmente nesse processo e que vai pedir caráter de urgência na implantação do fundo. Não podemos admitir que o servidor seja mais prejudicado e que tenha o seu trabalho comprometido, já que alguns mandados estão sendo devolvidos”, conclui o presidente.